27 tipos de agrotóxicos são encontrados na água!

 

Publicado em: 18/04/2019 17:27 | Fonte/Agência: SAMAE/IBIPORÃ com SITE UOL

Whatsapp

 

27 tipos de agrotóxicos são encontrados na água!

Uso abusivo de agrotóxicos tem envenenado as fontes de abastecimento de água para consumo humano do brasil

A maioria dos brasileiros tem consumido um perigoso coquetel de agrotóxicos na água em muitas cidades do Brasil. Dados do Ministério da Saúde obtidos através de investigação conjunta com a agencia Repórter Brasil, a Agência Pública e a organização suíça Public Eye.

As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento em todo o Brasil.

A contaminação da água vem aumentando intensiva e constantemente. Em 2014, 75% dos testes detectaram agrotóxicos. Já em 2015 subiu para 84% e foi para 88% em 2016, chegando a 92% em 2017.

A população do Estado de São Paulo foi a que mais consumiu o coquetel nos últimos anos. Foram encontrados  27 tipos de agrotóxicos na água analisada em 500 cidades, incluindo a grande São Paulo - Guarulhos, São Bernardo do Campo, Santo André e Osasco - além da própria capital. E algumas das mais populosas, como Campinas, São José dos Campos, Ribeirão Preto e Sorocaba.

O estado do Paraná está classificado em segundo lugar, com o coquetel presente em 326 cidades, seguido por Santa Catarina e Tocantins.

No caso especifico de Ibiporã, não foi encontrado nenhum tipo de agrotóxico na água consumida, como pode ser conferido no link: https://portrasdoalimento.info/ .

Isso mostra que ainda não existe contaminação nas fontes de abastecimento no município. Porém mesmo tendo índice zero para agrotóxicos na água consumida pelo ibiporaense, existe grupo de trabalho em rede para estudo e promoção de ações no âmbito do combate ao uso irregular de agrotóxicos de Ibiporã e Jataizinho. Coordenada pela promotora de justiça da 2ª Promotoria de Ibiporã, com atribuições na área ambiental, e com a participação de representantes da Prefeitura Municipal de Ibiporã, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente, Vigilância Sanitária de Ibiporã e Jataizinho, SAMAE, Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea), Universidade Estadual de Londrina (UEL) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)