Ibiporã é destaque em ranking de saneamento por mais um ano

 

Publicado em: 23/07/2019 11:37 | Fonte/Agência: Caroline Vicentini/Núcleo de Comunicação Social/Prefeitura Municipal de Ibiporã

Whatsapp

 

Ibiporã é destaque em ranking de saneamento por mais um ano

Sede do SAMAE de Ibiporã.

Segundo estudo da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), município é o 4º do país entre os de pequeno e médio porte na categoria “Compromisso com a Universalização”.

 

Ibiporã é o quarto município de pequeno e médio porte do país (até 100 mil habitantes) na categoria “Compromisso com a Universalização” no Ranking Abes da Universalização do Saneamento, feito pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), e divulgado nacionalmente no mês passado.

Compõe esta edição 1.868 municípios do Brasil, todos os que forneceram ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento - SNIS – as informações para o cálculo de cada um dos cinco indicadores (abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada de resíduos sólidos), representando 68% da população do país. A região com maior representatividade é a Sudeste, com quase 60% dos municípios. A menor é a região Norte, com apenas 2,09% deles. O ranking 2019 foi elaborado com dados de 2017, por causa da defasagem de dois anos entre a coleta e a divulgação pelo Ministério das Cidades.

Este ano o ranking traz novidades. A primeira delas é que informa quais municípios têm Planos de Saneamento Básico, os que estão elaborando seus planos e os que ainda não os possuem. O estudo constatou que as categorias com pontuações mais altas têm uma proporção maior de municípios com Plano Municipal de Saneamento Básico. O inverso também é verdadeiro: as categorias com pontuações menores têm um menor percentual de municípios com este instrumento, o que demonstra a importância dos Planos para melhoria da gestão e da oferta de serviços.

Esta edição também aprimorou o indicador de resíduos sólidos, incorporando, além dos resíduos domiciliares e públicos, os demais resíduos produzidos pelos municípios.

Em cada uma das categorias, as cidades receberam uma nota que vai até 10. Os municípios que apresentaram as informações para o cálculo dos indicadores que compõem o ranking foram classificados em quatro categorias de acordo com a pontuação total obtida pela soma do desempenho de cada indicador. A pontuação máxima possível é de 500 pontos, atingida quando o município alcança 100% em todos os cinco indicadores:

– Rumo à universalização – acima de 489

– Compromisso com a universalização – de 450 – 489

– Empenho para a universalização – de 200 – 449

– Primeiros passos para a universalização – abaixo de 200

Segundo o ranking, Ibiporã atingiu 488,15 pontos, de um máximo de 500, o que coloca o município na categoria “Compromisso com a universalização”. De acordo com o estudo, apenas 224 municípios de um total de 1.868 se enquadram nesta categoria, sendo 46 de grande porte e 178 de pequeno e médio porte. A maior parte dos municípios ranqueados pertence à categoria “Empenho para a universalização”, que representa mais de 70% deles.

Conforme a Abes, se considerar apenas o quesito abastecimento de água, um grupo de 59 municípios atingiu a pontuação máxima. Entre as cidades de pequeno e médio porte que atingiram a nota máxima, 95% (39) são do Sudeste. Apenas Tamandaré (Pernambuco) e Ibiporã alcançaram essa pontuação nas regiões Nordeste e Sul, respectivamente. Coleta de esgoto Ibiporã obteve 92,93; tratamento de esgoto – 100,00; coleta de resíduos sólidos – 95,22; destinação adequada – 100,00; taxa de internações – 99; plano de saneamento – sim.

“O saneamento tem impacto direto na vida de todas as pessoas e precisa ser prioridade na agenda dos governantes e dos legisladores, porém, sempre com uma discussão plural, que envolva todas as partes e, especialmente, que esclareça a sociedade”, ressalta o presidente nacional da Abes, Roberval Tavares de Souza.

 

Investimentos

A posição ocupada pelo município corrobora o serviço de saneamento básico de excelência prestado à população. Desde 1.968 a cidade conta com um serviço municipal autônomo de água e esgoto (Samae), com altos índices de qualidade quando o assunto é água tratada, esgoto coletado e tratamento e gerenciamento de resíduos sólidos.

Toda a água distribuída pelo Samae é tratada, clorada e fluoretada e atende aos padrões de qualidade bacteriológica e físico-química de potabilidade fixados pela Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde. Atualmente o serviço de abastecimento de água conta com duas unidades de captação e recalque, uma no Ribeirão Jacutinga e outra no Poço do Aquífero Guarani, que oferece água de excelente qualidade, com propriedades minerais, atendendo 100% da população urbana e da zona rural. Outro fator de destaque é a rede de esgotos sanitários que atende 98,5% do município - índice de destaque entre os municípios brasileiros. Todo o esgoto é tratado antes de ser lançado no corpo receptor.

Em 2018, a autarquia adquiriu um novo módulo clorador, aumentando a capacidade de produção em aproximadamente três vezes a atual, garantindo com segurança a distribuição de água de qualidade por aproximadamente mais 20 anos além de reformar, readequar e revitalizar o espaço onde o equipamento está instalado.

Este ano, o Samae adquiriu um caminhão que recebeu todo o aparato de sistema hidrovácuo que está sendo utilizado para a limpeza das redes coletoras de esgoto.

O Samae também está investindo cerca de R$600 mil na recuperação da Estação de Tratamento de Esgoto da região Norte - ETE Norte (saída para Sertanópolis). As três lagoas anaeróbias (mecanismos para o tratamento de esgotos domésticos e despejos industriais com alto teor de matéria orgânica. Este mecanismo trabalha em condições estritamente anaeróbias, ou seja, na ausência de oxigênio dissolvido em meio aquoso) estão comprometidas pelo assoreamento e estão sendo recuperadas. A autarquia também iniciou a recuperação da Estação de Tratamento da Zona Sul (ETE Sul), situada perto da ponte do Ribeirão Engenho de Ferro, próximo ao Conjunto Habitacional Miguel Petri. Os investimentos, com recursos próprios, também são da ordem de R$600 mil. Também está sendo elaborado um termo de referência para o desassoreamento do lago de captação do Ribeirão Jacutinga.

A autarquia vem se capitalizando nos últimos anos, reduzindo gastos e otimizando suas despesas, e hoje possui recursos para investimento em obras de grande porte. “A colocação de Ibiporã no ranking reflete um planejamento a longo prazo e uma preocupação com a área de saneamento no município, o que reflete na melhora da qualidade de vida da população. Também é uma conquista de todos os servidores do Samae, que diariamente trabalham para conquistar estes resultados”, avalia o diretor presidente da autarquia, Edivaldo de Paula.

O prefeito João Coloniezi parabenizou o Samae por mais um ano no ranking do Abes. “O nosso Samae está de parabéns. Com uma gestão responsável, comprometida e eficiente, a autarquia comprova que o serviço público é viável havendo por parte dos gestores foco na melhoria contínua dos processos e na máxima satisfação de seus contribuintes”, ressalta o prefeito João.

 

Coleta Seletiva

Em relação à coleta seletiva Ibiporã também dá exemplo. Todo o município já possuiu um sistema completo de coletiva seletiva que conta com a colaboração da população ao separar rejeitos e recicláveis dos orgânicos além de contar também com a coleta uma vez por semana em toda zona rural.

Além da coleta diferenciada porta a porta, o Samae também possui um programa permanente de educação ambiental, o qual envolve a mobilização social, educação e conscientização dos munícipes e o constante treinamento dos colaboradores envolvidos no processo.

A excelência no desenvolvimento do trabalho de saneamento fez com que o Samae conquistasse no ano de 2000 o Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento (PNQS), um dos mais importantes prêmios do setor de saneamento do país - se tornando a primeira empresa municipal a obter essa premiação.

No final de 2017 a autarquia recebeu certificado de reconhecimento do "V Prêmio Gestor Público Paraná" (PGP-PR). Iniciativa do Sindicato dos Auditores Fiscais do Estado do Paraná (Sindafep), a premiação reconhece projetos criativos e inovadores das administrações públicas municipais do estado. A conquista deu-se em função do trabalho desenvolvido pelo Samae, que não mediu esforços para readequar o contrato de coleta de lixo de forma a estabelecer um equilíbrio econômico entre receita e despesas.